Prefeitura de Belém inicia distribuição de água potável para comunidade ribeirinha no Aurá

Distribuição emergencial de água potável beneficia 65 famílias na comunidade Nossa Senhora dos Navegantes
Distribuição emergencial de água potável beneficia 65 famílias na comunidade Nossa Senhora dos Navegantes

O atendimento emergencial para distribuição de água potável à comunidade ribeirinha Nossa Senhora dos Navegantes, situada às margens do rio Aurá, começou a ser realizado nesta terça-feira,27,pela Prefeitura de Belém. Nesta primeira ação foram entregues 270 garrafões de água mineral aos moradores.

Segundo a líder comunitária Diana Amaral, que mora na ilha há 19 anos, a comunidade de N. S. dos Navegantes sempre sofreu com a falta de água potável em função do chorume que é despejado no rio. “A gente sofre há anos e nenhum prefeito havia tomado uma atitude como essa pela nossa comunidade. Estou muito feliz e toda a comunidade estava ansiosa pela chegada da água”, afirma.

270 garrafões de água potável foram distribuídos na primeira ação
270 garrafões de água potável foram distribuídos na primeira ação

A ansiedade dos moradores aumentou após o anúncio feito pelo prefeito Zenaldo Coutinho, na última quinta-feira, 22, informando que galões de água mineral seriam distribuídos na comunidade em caráter emergencial, duas vezes por semana, atendendo todas as 65 famílias que moram no local. E essa é só a primeira de muitas ações projetadas para a ilha. “Nós participamos de várias reuniões com o prefeito e a equipe da Agência Municipal de Água e Esgoto de Belém e estamos vendo todos os nossos pedidos serem atendidos”, garante Diana Amaral.

Foram 5.400 litros de água mineral entregues na Associação dos Moradores Ribeirinhos de Nossa Senhora dos Navegantes, e na próxima sexta-feira, mais 170 garrafões chegarão ao local. Um Planejamento elaborado pela Agência Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae), a partir de um trabalho com a comunidade, que identificou a melhor forma de fazer a distribuição de água na ilha e a quantidade necessária para atendê-la diariamente, chegando a um total de 5 litros diários por pessoa.

Associação dos Moradores Ribeirinhos de Nossa Senhora dos Navegantes
Associação dos Moradores Ribeirinhos de Nossa Senhora dos Navegantes

“Daqui para frente essa distribuição de água mineral continuará sendo realizada duas vezes por semana pela equipe de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, sempre às terças e sextas, até que sejam licitados os 65 sistemas de captação de água de chuva que abastecerão a comunidade com água de qualidade e a custo zero”, explica o engenheiro sanitarista e diretor-presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

As próximas ações já anunciadas pelo prefeito de Belém serão desenvolvidas em conjunto por diversas secretarias municipai. Uma dessas ações será a chegada de um agente de saúde permanente no local, assim como a de médicos especialistas. Neste sábado, 31, a Sesma já realizará um encontro com os moradores para que seja feito um diagnóstico dos principais problemas de saúde enfrentados por eles. Uma quadra esportiva coberta e a implantação dos sistemas individuais de captação de água de chuva em cada residência são outros projetos já aprovados e autorizados pela Prefeitura de Belém.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: Isis Fonseca
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)

Comunidade do Aurá começa a receber água potável a partir de terça-feira, 27

Zenaldo Coutinho esteve pessoalmente comunicando aos moradores da comunidade ribeirinha, os projetos da PMB para garantir água potável para todos.
Zenaldo Coutinho esteve pessoalmente comunicando aos moradores da comunidade ribeirinha, os projetos da PMB para garantir água potável para todos.

Para conversar com a comunidade e anunciar uma série de projetos para levar água potável à comunidade ribeirinha ainda no primeiro semestre de 2015, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, esteve nesta quinta-feira, 22, na Unidade Pedagógica Nossa Senhora dos Navegantes, nas proximidades do rio Aurá.

A primeira ação anunciada pelo Prefeito ocorrerá já na próxima terça-feira,27, uma medida emergencial tomada pela Prefeitura para abastecer com garrafões de água potável as 65 famílias,cerca de 325 pessoas, da Comunidade Nossa Senhora dos Navegantes.

A Amae ficou responsável pelo planejamento dos sistemas de abastecimento de água que serão implantados na comunidade
A Amae ficou responsável pelo planejamento dos sistemas de abastecimento de água que serão implantados na comunidade

“Duas vezes por semana, terças e sextas, a Prefeitura distribuirá gratuitamente o equivalente a cinco litros diários de água por pessoa. Essa medida foi encontrada através de um diálogo direto com a comunidade para atendê-los até que entre em ação a segunda etapa do projeto, que é levar um sistema individual de captação de água de chuva para cada uma das 65 famílias da comunidade”, explica Zenaldo Coutinho.

Segundo a líder comunitária Diana Amaral essa é uma vitória muito sonhada e aguardada pela população ribeirinha. “Sempre acreditei que o Zenaldo fosse o prefeito que iria mudar nossa realidade e agora não tenho nem palavras para explicar o quanto estou feliz. Nenhum prefeito havia feito nada por nós, essa é uma grande vitória!”, afirma.

Iniciativa da Prefeitura beneficia 65 famílias da comunidade Nossa Senhora dos Navegantes
Iniciativa da Prefeitura beneficia 65 famílias da comunidade Nossa Senhora dos Navegantes

Para o agricultor Jorge Gonçalves dos Santos, morador da Comunidade Nossa Senhora dos Navegantes, essa água de qualidade chega para mudar a difícil realidade enfrentada por eles, trazendo qualidade de vida, saúde, e a confiança de que outros projetos possam ser colocados em prática no local.

A Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae), juntamente com o Grupo de Aproveitamento de Água de Chuva, Saneamento e Meio Ambiente (Gpac Amazônia), chefiado pelo professor Ronaldo Mendes, aproveitaram para explicar aos moradores como funcionarão os Sistemas de Captação de Água de Chuva, que através da filtragem da água da chuva e adição de hipoclorito, fornecerão água de qualidade à população.

Na próxima terça-feira, 27, começa a distribuição de água potável
Na próxima terça-feira, 27, começa a distribuição de água potável

“O prefeito determinou que déssemos prioridade ao saneamento rural, e essas ações que começam a chegar às ilhas são um reflexo deste trabalho conjunto com a comunidade local e científica. O próximo passo será a implantação de 200 sistemas de captação de água de chuva em 39 ilhas do município. Um projeto que já está pronto e autorizado pelo Prefeito, e será operado pela Vigilância Sanitária”, ressalta o Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

Durante o anúncio das ações que chegarão à comunidade, o prefeito contou também com as presenças da Secretária Municipal de Educação, Rosinéli Salame, que ficará responsável pela obra e operação dos serviços na Unidade Pedagógica, e do Secretário de Saúde, Sérgio Figueiredo, que aproveitou para reforçar seu compromisso de enviar um agente de saúde permanente para a comunidade e montar um cronograma para a visita de médicos ao local.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: João Gomes – NID Comus
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)

Prefeito anuncia atendimento emergencial e abastecimento com água da chuva no Aurá

Comunidade será recebida pelo prefeito em unidade pedagógica ribeirinha
Comunidade será recebida pelo prefeito em unidade pedagógica ribeirinha

Nesta quinta-feira, 22, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, vai visitar a Unidade Pedagógica Nossa Senhora dos Navegantes,localizada às margens do Rio Aurá, para junto com a Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae) apesentar as ações emergenciais a serem desenvolvidas para garantir água potável às comunidades ribeirinhas.

A primeira ação deverá beneficiar 65 famílias da comunidade, aproximadamente 325 pessoas, que receberão semanalmente garrafões de água mineral. “Realizamos uma reunião com a comunidade ribeirinha que vive nas proximidades do rio Aurá, para identificarmos a melhor forma de atender aquela população de forma imediata, pois apesar de já existir um plano de saneamento rural, que prevê a implantação do Sistema de Captação de Água de Chuva naquela comunidade, a Prefeitura de Belém trabalha para atender de forma eficiente situações emergenciais como esta”, explica o diretor presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

A ação emergencial deverá beneficiar 65 famílias da comunidade, aproximadamente 325 pessoas
A ação emergencial deverá beneficiar 65 famílias da comunidade, aproximadamente 325 pessoas

Segundo Noronha, o próximo passo será a implantação do Sistema de Abastecimento de Água na Unidade Pedagógica Nossa Senhora dos Navegantes. Uma ação compartilhada entre Amae e Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), que ficará responsável pela obra e operação dos serviços.

No encontro com a comunidade, o prefeito também pretende anunciar o período de início da licitação para que 200 Sistemas de Captação de Água de Chuva (SAC) sejam instalados nas 39 ilhas do município.

“O prefeito Zenaldo Coutinho entende a importância de utilizar as inovações sociais existentes em benefício da população como um todo e, principalmente, das populações ribeirinhas que são historicamente esquecidas e sofrem com situações de vida adversas”, afirma o diretor da Amae.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: Ascom Semec
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)

Ação emergencial levará água potável a comunidades ribeirinhas

Amae e lideranças das comunidades da região de várzea definem plano emergencial de abastecimento de água
Amae e lideranças das comunidades da região de várzea definem plano emergencial de abastecimento de água

Devido ao lançamento de chorume do lixão a céu aberto do Aurá na região da várzea, o Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, decretou estado de emergência para as comunidades ribeirinhas que residem no local. A falta de água potável é um grande problema cuja solução está no Plano de Saneamento da região, elaborado pela Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae).

Na tarde desta sexta-feira, 09, o presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares, reuniu com lideranças comunitárias da região para discutir as principais necessidades das famílias afetadas pela falta de água potável do local. “Nós estamos fazendo o planejamento para solucionar os problemas dessa área, cuja água do rio e do lençol freático encontra-se contaminada. Inicialmente iremos fazer uma ação emergencial nas próximas semanas para levar água mineral aos moradores. Após isso, iremos iniciar o plano do Sistema de Captação de Água de Chuva para consumo.” explica o presidente.

O presidente da Amae, Antonio Noronha, presidiu a reunião com lideranças ribeirinhas
O presidente da Amae, Antonio Noronha, presidiu a reunião com lideranças ribeirinhas

Nas próximas semanas, a Prefeitura irá levar água mineral às comunidades ribeirinhas seguindo um sistema de periodicidade semelhante ao da coleta de lixo. Toneis de água mineral serão levados através de um barco todas as segundas, quartas e sextas-feiras. “Essa ação emergencial veio como presente de Deus, eu não esperava. As pessoas da minha comunidade já estão descrentes em conseguir uma vida melhor. Eu acredito que possamos mudar, estou sempre com essa fé. Essa ação vai ser maravilhosa para todos nós. A água é o que mais precisamos no momento, é prioridade”,  conta Diana dos Santos Amaral, 35, líder da comunidade Nossa Senhora dos Navegantes e mãe de nove filhos.

Inicialmente 60 famílias serão atendidas pela Prefeitura nesta ação emergencial. A Amae está realizando o planejamento e o projeto técnico para o Plano de Saneamento da região da várzea que iniciará em fevereiro. O plano consiste em fazer um sistema de captação de água de chuva nas casas das comunidades. Tendo como colaboradores os moradores, a água será captada através dos telhados das casas, sendo encaminhada para unidades filtrantes para iniciar o tratamento com cloro, tornando-a apta para consumo.

Será oferecido um programa de orientação e capacitação aos moradores da região para que o sistema funcione adequadamente. “Nós estamos muito esperançosos. Nós precisamos da água para viver, então para um local que nunca teve água potável, isso é uma vitória. Este plano vai trazer solução, a possibilidade de sobrevivência naquele espaço.” comenta o Padre Jonas, coordenador do Fórum das Ilhas.

Texto: Caroline Torres
Foto: Tássia Barros – Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)