Seminário aberto ao público, debate escassez hídrica e seus desafios

Seminário aberto ao público, debate escassez hídrica e seus desafios
Seminario
Seminário comemorativo ao Dia Mundial da Água aconteceu no Auditório do IFPA

“Desperdício de água, escassez hídrica e eventos extremos” é tema de Seminário comemorativo pelo Dia Mundial da Água, realizado nesta quinta-feira (26) no Auditório Central do IFPA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia). Idealizado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o evento ofereceu uma programação gratuita, cujo objetivo era discutir com a sociedade temas em destaque no cenário nacional, como a escassez hídrica nas regiões sul e sudeste e seus reflexos em âmbito nacional.

Segundo o Gerente de Hidrologia e Gestão Territorial da CPRM, especialista em Recursos Hídricos, João Batista Marcelo de Lima, este é um momento propício para expor a sociedade o compromisso de ter uma relação saudável com os recursos ambientais.

O Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares, participou do evento
O Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares, participou do evento

“Em uma região rica em recursos hídricos como a nossa, podemos conviver com o que chamamos de escassez na abundância, reflexo das históricas intervenções danosas do ser humano nas bacias hidrográficas urbanas, o que compromete a qualidade das águas, nos levando a procurar fontes cada vez mais distantes, logicamente, encarecendo o abastecimento de água”, explica.

Participaram da realização do Seminário, representantes importantes do setor de saneamento básico e abastecimento de água, como Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae), Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Agência Nacional de Águas (ANA), Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

“Para nós da Amae é sempre um prazer poder participar de palestras, seminários, no qual possamos ter um momento para troca de ideias com a sociedade. Eu sempre digo que nosso trabalho enquanto Agência Reguladora não é um trabalho que um órgão possa realizar sem que atue juntamente com a população e para a população”, explica o Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

A programação foi aberta ao público em geral
A programação foi aberta ao público em geral

Durante o Seminário, o público pode acompanhar palestras sobre gestão integrada dos recursos hídricos; Papel das Redes de Monitoramento e dos Sistemas de Informação Geocientíficas; Sistemas alternativos de abastecimento de água; Programa de Educação Ambiental, entre outras.

O Engenheiro Eletricista da Cosanpa, Giberto Drago, aproveitou o momento para admitir as dificuldades que a Companhia vem enfrentando, com um total de perdas, durante o abastecimento de água, que está em torno de 67,3% e uma tarifa de água defasada. Mas, também exaltou os esforços das Cosanpa para reverter esta situação.

“Contratamos uma consultoria especializada que desenvolveu projetos para redução e controle de perdas de água. O nosso objetivo é baixar o volume de perdas para 20%, economizando 5 milhões de metros cúbicos por mês, e ainda elevar o faturamento para R$30 milhões por ano, o que é revertido em investimentos no setor”, afirmou Gilberto Drago.

seminario 4Para que aconteçam as mudanças tão esperadas pela Companhia de Saneamento do Pará, como a revisão da tarifa de água, é aguardada ainda para o primeiro semestre de 2015 a assinatura do Contrato de Programa entre Cosanpa e Prefeitura de Belém. No qual será realizado um trabalho de gestão compartilhada dos Serviços de Abastecimento de Água e Saneamento, onde operação do serviço será de responsabilidade da concessionária, enquanto o município terá a função de regular, fiscalizar, planejar e controlar os serviços prestados, através da Agência Reguladora Municipal.

Durante apresentação no Seminário o Diretor Presidente da Amae ressaltou os desafios que a Amae deverá enfrentar nos próximos anos para garantir a proteção do interesso público, normatizar o nível de qualidade e segurança do serviço, fomentar ações para melhoria do desempenho da Cosanpa no município, além de promover estudos para a regulação dos preços dos serviços que contribuam para a eficiência econômica e universalização do acesso ao serviço de saneamento básico e esgotamento sanitário.

“Estamos sendo os pioneiros de um trabalho que não se concluirá em uma gestão municipal. O saneamento enquanto infraestrutura é um serviço estratégico para a cidade e para o país, a tal ponto que, em uma nação sem saneamento, poderá até haver momentaneamente crescimento econômico, mas nunca haverá de promover o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida necessária a sua população”, afirmou o Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

Segundo dados da COSANPA de 2013 somente 6,7% da população tem acesso à rede de esgoto sanitário, e do total de esgoto gerado, apenas 38% é tratado. Estes são indicadores que revelam a importância de uma agência reguladora atuando no setor de Saneamento Básico do município como mediadoras de conflitos entre consumidores, poder político e entidades reguladas, que no caso de Belém, se dará com exclusividade para a Cosanpa por um período de 30 anos, a partir da assinatura do contrato.

A estudante de Engenharia Ambiental da UFRA, Manuella Almeida de 19 anos, que acompanhou o dia de palestras no IFPA, ficou particularmente interessada pela palestra e pelos sistemas alternativos de abastecimento de água. “Acho importante esses encontros para difundir informações que a população em geral geralmente não tem acesso. Eu gostei muito de participar deste seminário”, afirmou a estudante.

Belém também já está se preparando para sediar em agosto um “Workshop Internacional de Água de Chuva” e em novembro o “Seminário Internacional de Gestão Urbana das Águas”, todos já devidamente aprovados pela Prefeitura do município.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: Ascom Amae / Vanessa Mello
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)

Especialistas alertam para a importância do consumo consciente da água

Especialistas alertam para a importância do consumo consciente da água
População das ilhas de Belém recebe água mineral da Prefeitura e aind ano 1º semestre de 2015 receberão sistema de captação de água da chuva
População das ilhas de Belém recebe água mineral da Prefeitura e aind ano 1º semestre de 2015 receberão sistema de captação de água da chuva

Com a proximidade do Dia Mundial da Água, comemorado dia 22 de março, especialistas na área alertam para a abundância relativa do recurso natural no Pará e a importância do seu consumo consciente.

Segundo o Engenheiro Sanitarista e Diretor Presidente da Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae), Antônio de Noronha Tavares, as perdas físicas na distribuição de água operada pela COSANPA, estão em torno de 48% no munícipio de Belém, por isso um dos objetivos do Plano Municipal de Saneamento Básico de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Belém (PMSB) é reduzir este percentual para níveis desejáveis, aproximadamente 20% em países desenvolvidos.

Diretor Presidente da AMAE Antônio de Noronha Tavares fala do trabalho da prefeitura na região das ilhas
Diretor Presidente da AMAE Antônio de Noronha Tavares fala do trabalho da prefeitura na região das ilhas

As medidas que serão tomadas para esta redução são: implantação do Programa de Redução e Controle de Perdas; implantação do Programa de Uso Racional da Água e Educação Ambiental; implantação do Programa de Macromedição e Manutenção Preventiva nas Unidades dos Sistemas de Abastecimento de Água; Plano de Capacitação de Pessoal; além da substituição de adutoras antigas e redes de abastecimento de água deterioradas.

“Entre obras que direta ou indiretamente resultarão em diminuição do índice de perdas e a implantação de programas específicos de combate as mesmas e o controle de seu desperdício, o Plano de Saneamento Básico, prevê investimento em torno de R$ 300 milhões de reais ao longo de 20 anos”, afirma o Diretor Presidente da Amae.

O Prefeito Zenaldo Coutinho determinou que sustentabilidade seja palavra de ordem para garantir recurso hídrico de qualidade no município, por isso já se iniciou um ciclo da discussões e palestras voltadas ao uso racional da água em comunidades ribeirinhas do munícipio, como a Comunidade Nossa Senhora dos Navegantes que, vivendo às margens do Rio Aurá, sempre sofreu com a falta de água potável e desde janeiro deste ano recebe da Prefeitura de Belém uma remessa semanal, todas as terças e sextas, de galões de água mineral que atendem as necessidades diárias de 65 famílias, aproximadamente 325 pessoas.

“Com a economia do dinheiro que gastávamos para comprar água, da qual nem sabíamos a procedência, já conseguimos melhorar nossa alimentação, compramos mais arroz, mais feijão. Tem melhorado muito a nossa vida!”, enfatiza a líder comunitária e agricultora rural, Diana Amaral, 35 anos.

A expectativa também é grande na comunidade para a instalação dos Sistemas de Captação de Água da Chuva (Sac), um sistema de distribuição de água que será permanente, abastecendo as famílias com água potável a custo zero. A Prefeitura de Belém já licitou 200 sistemas de captação de água chuva para 39 ilhas do munícipio, que deverão ser entregues ainda no primeiro semestre de 2015.

“Recebemos uma palestra sobre esses sistemas para aprender a utilizá-los de maneira correta. E estamos bem entusiasmados com a ideia”, afirma a líder comunitária Diana Amaral.

54306_140521O coordenador do grupo de pesquisa “Aproveitamento de água da chuva na Amazônia” (GPAC Amazônia) da UFPA, Professor Ronaldo Mendes, parceira da Prefeitura nesta empreitada, garante que a água proveniente dos SAC’s é de qualidade incontestável e uma das soluções mais eficazes para a população ribeirinha.

“A qualidade dessa água só depende de uma boa manutenção do usuário, por isso é importante sensibilizar esses moradores através de palestras. E o resto fica por conta do próprio sistema, que elimina a primeira água da chuva, fazendo a limpeza do telhado, e filtra o restante da água através de um filtro de carvão ativado, que elimina as impurezas. Ao final ainda adicionamos hipoclorito à água, garantindo sua potabilidade”, explica o Professor.

A parceria da Prefeitura de Belém, através da Amae, com o GPAC Amazônia vêm rendendo bons frutos para o desenvolvimento dos sistemas de abastecimento de água e saneamento básico local. Como resultado de recente viagem à Barcelona, na Espanha, o grupo garantiu que Belém se torne sede do “Workshop Internacional de Água de Chuva”, em agosto, assim como do “Seminário Internacional de Gestão Urbana das Águas”, em novembro, todos já devidamente aprovados pelo Prefeito Zenaldo Coutinho.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: Isis Fonseca / Oswaldo Forte
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)

Encontro de Lideranças discute desenvolvimento das ilhas de Belém

IMG-20150320-WA0002
I Encontro de Lideranças da região insular de Belém

Na quinta-feira (19) o Auditório da Fundação Escola Bosque, em Outeiro, foi palco do I Encontro de Lideranças Sociais da Região Insular de Belém, que visa promover o desenvolvimento econômico e social das comunidades ribeirinhas do munícipio.

Durante o Encontro, os líderes comunitários participaram de cursos sobre a formação de lideranças; aprimoramento das relações com a gestão pública e empreendedorismo social. Uma programação especial montada para fomentar o debate entre lideranças comunitárias e gestão municipal.

“Para a construção de uma cidade melhor, o importante é a troca de ideias e informações que os líderes comunitários possam nos repassar, ao mesmo tempo, que possam absorver conhecimentos teóricos e expor toda sua experiência prática em prol de uma Belém melhor”, afirmou na ocasião, o Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho.

O evento também contou com a presença da vice-prefeita do município, Karla Martins, juntamente com representantes da Agência Municipal de Água e Esgoto de Belém (Amae), Agência Distrital de Outeiro (Arout), Secretaria Municipal de Educação (Semec) e Fundação Escola Bosque (Funbosque).

Um dos resultados do Encontro será a preparação de um relatório sobre a situação atual das comunidades das ilhas de Belém, que deverá ser entregue ao Prefeito Zenaldo Coutinho, para que sirva como base para as ações e projetos que serão desenvolvidos no município.

“Momentos como este, são muito importantes para que estas comunidades historicamente esquecidas se percebam como atores sociais extremamente relevantes para o crescimento da nossa sociedade e possam atuar conosco no desenvolvimento do nosso município”, afirmou o Diretor Presidente da Amae, Antônio de Noronha Tavares.

Texto: Kennya Corrêa
Foto: Agência Distrital de Outeiro
Agência Reguladora Municipal de Água e Esgoto de Belém (AMAE)