/ PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM
PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM

Funpapa apresenta estratégias contra violência sexual na Câmara de Belém

Ascom Funpapa Foto: José Sampaio - Ascom-CM

As estratégias da Fundação Papa João XXIII (Funpapa) contra a violação de direitos sexuais de crianças e adolescentes estiveram em pauta na Câmara Municipal de Belém (CMB) durante sessão especial na tarde desta quarta-feira, dia 18.

Andrea Alves, coordenadora da Proteção Social de Média Complexidade, que representou a presidente da Funpapa, Carolina Ferreira, explicou que só em 2010 mais de 1200 crianças e adolescentes passaram pelos cinco abrigos e uma Casa de Passagem da instituição, boa parte delas vítimas de algum tipo de violência sexual.

“Ano passado tivemos 1.218 crianças e adolescentes em nossos abrigos. Em 2011 já somamos 97 casos de denúncias de violência sexual em nossos Centros de Referência Especializada de Assistência Social”, revelou Andréa que relatou os traumas identificados nas vítimas levadas para os centros onde recebem apoio psicossocial e encaminhamentos para saúde, mas admitiu que muitas seqüelas dificilmente desaparecerão.

“Essa vítima passa a ser uma pessoa que terá dificuldades em se firmar dentro de uma família”, relata. Andrea também alertou mães, professores, estudantes, representantes de entidades e vereadores para que o grande alvo da conscientização, que hoje devem ser as famílias.

“As famílias não podem fechar os olhos para o consumismo que contamina os jovens. Muitos pais não sabem onde os filhos estão indo, o que estão vendo na internet”, criticou Andréa, que informou ser a Funpapa divulgadora de campanhas de prevenção ao trabalho infantil, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, desde 2005, com a intensificação das ações nos últimos dois anos.

A sessão na Câmara Municipal foi presidida pelo vereador Abel Loureiro, presidente da Comissão de Direitos da Criança, Adolescente e Idosos da CMB. Foi solicitada e conduzida pelo vereador Adalberto Aguiar, que motivado pelo grande número de denúncias que vem ocorrendo em todo o Pará decidiu, em alusão ao 18 de Maio – Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, promover a sessão especial. “É importante estarmos atentos aos sinais silenciosos das vítimas, que não denunciam por medo”. Alertou Abel Loureiro.

Ricardo Mello, da Comissão da Criança e Adolescente da OAB-Pará, lembrou os diversos mecanismos de denúncia dessa violência, como o Disque 100, o Disque 181 e sites como o www.safernet.org.br que permitem comunicados anônimos que são encaminhadas à Central Nacional de Denúncias.

A delegada Cristiane Lobato, Diretora da DATA – Divisão de Atendimento à Criança e Adolescente, informou que diariamente chegam divisão de 30 a 40 denúncias de violação de direitos da criança e adolescente, sendo que os do interior são encaminhados aos órgãos competentes de cada município e os de Belém são investigados na capital, mas alerta que crimes prescrevem por conta da demora nos julgamentos ou por outras motivações no processo de investigação.

Também participaram da sessão estudantes de escolas públicas e particulares, professores e outros representantes da sociedade civil organizada, o secretário da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, José Acreano Júnior, juíza Maria das Graças Fonseca, da Vara de Crimes Contra a Criança e Adolescente, Inácio França, oficial de Comunicação do escritório do Unicef no no Pará, os vereadores Amaury Sousa e Otávio Pinheiro, entre outros, que parabenizaram o trabalho da Funpapa e da Rede de Proteção da Criança e Adolescente.