PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM

Bandeira e Hino de Belém

A bandeira de Belém é de 1625 e foi criada por iniciativa do segundo Capitão-Mor do Pará, Bento Maciel Parente, com provimento de D. Luís de Sousa. Antes fora esboçado o escudo de Belém por Pedro Teixeira, Aires de Sousa Chicorro e Francisco Baião de Abreu, enquanto na administração do intendente Antônio Lemos saiu uma publicação oficial a respeito.

Legalização oficial
Ocorreu em 1971, pela Câmara Municipal de Belém, através de Decreto publicado em 3 de janeiro de 1971.

Significado do escudo da bandeira de Belém

Os dois braços: O primeiro braço sustenta uma cesta de flores e o segundo braço uma cesta com frutas, significando que a cidade está em terras extremamente férteis e por isso escondem, com mais segurança, na sua exuberante flora sempre fluorescente e frutífera. Se houver braços fortes e corajosos, tudo é capaz de dar... Por baixo dos braços encontramos a legenda, “VER EAT AE TERNUM e TUTIUS LATENT”, alusivos ao rio Amazonas onde tudo é verduras e maravilhas e ao rio Tocantins pela posição escondida as vistas dos exploradores.

O sol: O sol poente lembra a hora que Caldeira lançou fundo no local próximo ao que escolhera para dar fundamento à sua conquista e tem por baixo uma faixa em latim “RECTIOR CUM RETROGADUS”, para dizer que aguardou a aurora do dia seguinte, como foi sempre costume dos conquistadores. portugueses , para fazer o seu desembarque. Diz ainda o sol, respeito à latitude da cidade que recebe os eflúvios do equador, daí a constância do sol que tanto derrama seus raios, para fazer de Belém, uma cidade morena.

Os animais: O boi e o asno, existe no escudo um prado, onde pastam uma mula e um boi, que estão olhando espantados para o céu. Os dois animais de cabeça erguida como quem admira algo no céu que é estrela do Messias, pois os mesmos foram colocados no escudo como uma espécie de evocação de Belém da Judéia para a nova Belém do extremo norte do Brasil. Ao lado dos animais está a frase “NEQUAQUAM MINIMA EST”, significando o nome da cidade de Belém da Judéia, que Castelo Branco escolhera para a capital de sua conquista, e da qual dissera o Profeta que não seria a menor de todas. A posição em que se acham os animais

O castelo: Encerra uma alusão ao poderio das armas portuguesas, assim como representa a imagem da princesa que espelha com encantos inauditos nas águas da baía do Guajará, a estrada que vai ao castelo mostra o caminho que devem seguir todos os sucessos da Caldeira, isto é, a obediência aos superiores. O castelo possui um colar de pérolas distintivas de nobreza, por sobre a porta principal, do qual prendem as quinas portuguesas com cinco castelos de ouro em escudo azul, para dizer que Caldeira de Castelo Branco, provinha de família nobre.

HINO DA CIDADE DE BELÉM

Sobre o verde berço da floresta
Onde brota fauna e flora tão vibrante
Nasceste tu, minha Belém
Entre o leve alento dos igarapés
E agrados de rios afluentes

Junto aos pés de Fortim do Presépio
Naquela distante Feliz Lusitânia
Entre índios, brancos e negros
Gerou-se o forte gen do teu povo
Essência do sangue cabano

Cidade morena do cheiro-cheiroso
És o elo entre o rio e a floresta
Solo fértil que arde imenso saber
Círio e fé na alma do teu povo
Vale Ver-o-Peso em festa

És o portal da Amazônia
A Cidade das Mangueiras
Na Bandeira Nacional
Brilhas Belém, na primeira estrela


Letra: Eduardo Neves
Música: Luiz Pardal

HISTÓRICO

Em 12 de janeiro de 2007, quando Belém completou seus 391 anos de idade e após quase três meses, a cidade conheceu os vencedores do concurso que escolheu o hino de Belém. Ao exaltar a fauna, mencionar o Círio e o Ver-o-Peso, o compositor Eduardo Neves foi o vencedor da letra que tem como título: Hino da Cidade de Belém.

No caminho das notas musicais desde a infância, o músico Luiz Pardal é o dono da melodia que dá ritmo ao hino.

Ao todo 19 músicos se inscreveram. Os trabalhos foram avaliados por um júri especializado que deu notas de cinco a dez nos quesitos: conteúdo das letras, melodia e ritmo, pesquisa e originalidade. Compuseram a corpo de jurados, membros da Fundação Carlos Gomes, do serviço de aprendizagem musical da Universidade Federal do Pará, integrantes do curso de música da Universidade do Estado do Pará e da própria Fundação Cultural do Município de Belém.

Apesar de ter quase quatro séculos de história, ser uma das mais antigas capitais do País e ainda ser o berço de grandes nomes da música brasileira como Waldemar Henrique, Belém ainda não possuía sua canção oficial.

Foi para preencher esta lacuna que a Fundação Cultural do Município de Belém realizou o concurso.