Setor gastronômico valoriza alimentos produzidos nas ilhas de Belém

Para promover o desenvolvimento econômico da comunidade agrícola familiar nas ilhas pertencentes à capital paraense, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Economia (Secon), realizou nesta terça-feira, 08, na sede do órgão, um encontro com representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e Coordenadoria de Turismo de Belém (Belemtur).

Além dos agentes municipais e estaduais, também participaram com sugestões os representantes das cooperativas de agricultura familiar e dos restaurantes de Belém. “A ideia é reunir todos os setores que dependem direta e indiretamente da cadeia produtiva dos alimentos oriundos de ilhas como Cotijuba, Combu, Mosqueiro e Outeiro. Nossa intenção é desenvolver a produção e o escoamento da agricultura familiar e, também, beneficiar os donos de restaurantes com incentivos fiscais para que comprem desses produtores”, explicou o secretário municipal de Economia, Fábio Lucas Moreira.

Para a execução do projeto, a Secon pretende criar o “Polo Gastronômico da Amazônia”. Os interessados inseridos na área do Polo deverão oferecer nos cardápios pelo menos três pratos com produtos comercializados por agricultores das ilhas de Belém.

“Estamos aqui para repassar as necessidades do mercado para o êxito das ações. Conquistamos pela Unesco o título internacional de Cidade Criativa da Gastronomia e, portanto, devemos continuar oferecendo um paladar único, inovador e, principalmente, com produtos de qualidade”, destacou a representante do Instituto Paulo Martins e dos proprietários de restaurantes de Belém, Joanna Martins.

O governo do Estado, parceiro da Prefeitura de Belém nos projetos realizados pela secretaria municipal de Economia, contribuirá, por meio da Sedeme, com ideias voltadas para o crescimento do setor gastronômico no Plano de Desenvolvimento Econômico. “Como observamos, a cadeia produtiva da região insular de Belém é riquíssima, a exemplo do nosso açaí, pescado e fruticultura. Queremos utilizar o que temos de melhor para transformar em negócios e desenvolvimento econômico regional”, ressaltou a secretária adjunta da Sedeme, Maria Amélia Enriquez.

Para compartilhar dessa ideia, a Belemtur também atuará em pontos estratégicos da cidade, como portos e aeroportos para distribuição de roteiros gastronômicos e, também, indicações de visitas turísticas nas ilhas de Belém que fornecem matérias-primas provenientes da agricultura familiar, para restaurantes e hotéis da capital.

“Todos aqui têm o mesmo interesse, de desenvolver a cadeia produtiva e a agroindústria dos produtores familiares de Belém. Por isso, acredito que tantos os agricultores quanto o segmento de alimentação e turismo vão ganhar com o projeto do Polo Gastronômico da Amazônia”, concluiu o presidente da Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fecaf), César Marinho.

Texto: Roberta Corrêa
Foto: Nel Monteiro-Secon
Secretaria Municipal de Economia (SECON)

Notícias relacionadas