GESTÃO ESTRATÉGICA – Secon realiza oficina de planejamento para oferta de ações efetivas à população de Belém

GESTÃO ESTRATÉGICA – Secon realiza oficina de planejamento para oferta de ações efetivas à população de Belém

Os gestores que atuam diretamente com os permissionários das feiras, mercados, vias públicas e demais espaços administrados pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) participaram, nesta quinta-feira, 27 e sexta-feira, 28, no Centro de Formação de Professores Paulo Freire, da oficina: “Planejamento e Gestão Estratégica voltada para resultados”.

“Essa oficina teve como meta organizar novas ideias baseadas no plano de governo democrático e participativo do prefeito Edmilson Rodrigues, para colocá-las em práticas a benefício dos nossos permissionários, atores econômicos e da população de Belém, que vão desde o jovem em busca do primeiro emprego até o empreendedor ou produtor que atua na área urbana e rural de Belém”, destaca o secretário municipal de Economia, Apolônio Brasileiro.

A dinâmica com os servidores da Secon contou com a experiência da consultora Nylma Manescky, que há 20 anos trabalha com planejamento estratégico voltado para a gestão pública em todas as esferas, municipal, estadual e federal. “O planejamento tem preparado servidores e gestores da Prefeitura de Belém para organizar as ideias com objetivos e iniciativas estratégicas, metas e prazos, que se transformarão em ações efetivas na gestão”, explica a consultora.

Na oficina de planejamento foram propostos, a administração dos espaços públicos como feiras, mercados e vias públicas, através da gestão e ordenamento participativo; geração de emprego e renda, por meio de políticas de desenvolvimento, como cursos de formação, qualificação profissional e apoio ao acesso de linhas de microcrédito; indução de um novo modelo de desenvolvimento econômico, que promova sustentabilidade ambiental e distribuição de renda; segurança alimentar e incentivo às atividades produtivas urbanas e rurais; e o acesso da população aos serviços da Secon, através de aparatos tecnológicos e digitais.

Texto: Roberta Corrêa – Ascom Secon
planejamento1planejamento2

HOMENAGEM – Trabalhadores do Complexo de São Brás comemoram os 110 anos do Mercado

HOMENAGEM – Trabalhadores do Complexo de São Brás comemoram os 110 anos do Mercado

Um dos maiores símbolos arquitetônico, histórico, turístico e cultural de Belém, comemorou nesta sexta-feira, 21, o aniversário de 110 anos de fundação. A comemoração teve café da manhã e bolo, feito pela associação dos permissionários. O Complexo de São Brás, esquecido por dezesseis anos pelo poder público municipal, agora é visto como sinônimo de esperança para os trabalhadores e frequentadores do espaço.

Permissionário do mercado há cerca de 30 anos, Carlos Raposo viu o complexo de São Brás se degradar ao longo do tempo, mas acredita que, a partir da nova gestão municipal, o espaço voltará a ter vida e melhorar as condições dos trabalhadores. “Quando comecei aqui, mexia com mercearia do lado de fora. Depois o mercado foi reformado pelo prefeito Edmilson e passei a trabalhar na parte interna, com produtores de pet shop. Também tínhamos o Banco do Povo, com as linhas de crédito e os cursos de qualificação profissional. Tenho fé que tudo será como antes”, acredita o vendedor.

Revitalização – Durante a cerimônia de aniversário do Complexo de São Brás, os secretários municipais de Economia, Apolônio Brasileiro, e de Urbanismo, Deivison Alves, e os presidentes da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), Lelio Costa, e da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), Alfredo Costa, puderam conversar com os trabalhadores da área, e explicar a situação atual do mercado.

“Queremos tranquilizar nossos permissionários de que as intervenções serão realizadas e de um modo bem melhor, com a participação ativa dos trabalhadores, principais agentes do Complexo de São Brás. Além disso, a Prefeitura de Belém quer potencializar as atividades no espaço, como no período da quadra junina, onde os ensaios e as festividades são intensas na área”, destacou o secretário de Economia, Apolônio Brasileiro.

Texto: Roberta Corrêa – Ascom Secon
São Brás2

RENDA PARÁ – Auxílio emergencial do estado é liberado para feirantes e ambulantes de Belém

RENDA PARÁ – Auxílio emergencial do estado é liberado para feirantes e ambulantes de Belém

Trabalhadores e trabalhadoras das feiras livres, mercados municipais e vias públicas, cadastrados na Secretaria Municipal de Economia (Secon), começaram a receber nesta terça-feira, 18, a primeira parcela do auxílio emergencial do programa Renda Pará, do governo do estado. O pagamento do benefício vai até sexta-feira, 21. O valor de R$400,00 será dividido em duas parcelas de R$200,00.

“A listagem com todos os nossos permissionários, feirantes e trabalhadores do comércio informal foi enviada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), para análise e inclusão no sistema. O governo do estado, a partir deste cadastro, verificou que cumpria os critérios do programa e iniciou o pagamento dos benefícios”, explicou o titular da Secon, Apolônio Brasileiro.

Como e quem pode retirar o auxílio?

Para confirmar a aprovação do cadastro no Renda Pará, o trabalhador informal deve acessar o site: https://ce.banpara.b.br/rendapara e inserir o número do CPF e data de nascimento. Não serão atendidos feirantes e ambulantes beneficiários de outros programas de transferência de renda, como o Bolsa Família e o Bora Belém e, ainda, os que exerçam outras atividades com carteira assinada ou que tenham contratos formalizados.

Após a confirmação da liberação, o permissionário pode ir a qualquer agência do Banpará para retirar o benefício. As datas para o saque foram estabelecidas seguindo o mês de nascimento do beneficiário. Confira abaixo o calendário de retirada do auxílio:

18 de maio – aniversariantes de janeiro a março

19 de maio – aniversariantes de abril a junho

20 de maio – aniversariantes de julho a setembro

21 de maio – aniversariantes de outubro a dezembro.

Mais informações pelo telefone da Secretaria Municipal de Economia: 3073-3110.

Texto: Roberta Corrêa – Ascom Secon

PESQUISA – Preço do pescado volta a cair nas feiras e mercados de Belém

PESQUISA – Preço do pescado volta a cair nas feiras e mercados de Belém

Pela segunda vez consecutiva no ano a maioria do peixe vendido nas feiras e mercados municipais de Belém obteve queda de preço, conforme pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 14, pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Departamento Intersindical de Pesquisa e Estudos Socioeconômicos (Dieese-Pa).

No mês de abril as maiores baixas ocorreram nos preços dos seguintes tipos de pescado: Corvina, com recuo de -7,42%, seguida da Pescada Branca -6,31%, Tamuatá -4,64%, Pacu -4,54%, Bagre -4,17%, Serra -3,45%, Tucunaré -3,21%, Peixe Pedra -2,94% e Arraia com -2,61%.

“As quedas sequenciais são um avanço para nós, principalmente porque o valor do peixe caiu em um dos momentos de maior procura, durante a Semana Santa. Com as políticas de controle de abastecimento, realizada pela Prefeitura de Belém, em parceria com o Governo do Estado, conseguimos articular junto aos atacadistas preços acessíveis à população”, destacou o secretário municipal de Economia, Apolônio Brasileiro.

Trajetória – No acumulado do 1º quadrimestre de 2021 a maioria das espécies ainda apresentou alta de preço, com baixas apenas em algumas espécies, como o Pacu, com queda de -7,25%, e o Surubim com -5,70%. Já na análise dos últimos 12 meses, o pescado comercializado nas feiras e mercados municipais também apresentou alta e em percentuais bem acima da inflação, estimada para o mesmo período em torno de 7,00%. Ocorreram baixas apenas nos preços do Cachorro do Padre, com -11,39% e Surubim -1,91%.

Segundo o técnico do Dieese no Pará, Roberto Sena, depois de uma série de elevações nos primeiros meses do ano, a tendência é que, de fato, haja quedas nos preços dos peixes devido a alguns fatores favoráveis à compra, como, por exemplo, a sazonalidade do produto”, observou o economista.

 

Texto: Roberta Corrêa